Gustavo

Rezende

Gustavo Rezende
(Passa Vinte, MG, 1960)

Vive e trabalha em São Paulo.

Em 1984, forma-se na Faculdade de Belas-Artes, em São Paulo, e realiza sua primeira exposição individual na Pinacoteca do Estado, “São Paulo: Paisagens Urbanas”.

Até o final da década de 80, participa de várias exposições coletivas no Brasil e no exterior e é convidado para mostras individuais no MAC-USP, onde apresenta uma instalação, e na Galeria Funarte. No início dos anos 90 participa de dois programas de exposições: no Projeto Macunaíma, do Instituto Brasileiro de Arte Contemporânea/Funarte, e no programa de exposições do Centro Cultural São Paulo, dirigido por Sônia Salzstein. Integra também, em 1991, a Bienal de Havana e o Panorama da Arte Atual Brasileira, organizado pelo Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM). Em 1993, recebe o Prêmio British Council Fellowship. No ano seguinte, com bolsa para estadia de um ano, é convidado para o programa de mestrado do Goldsmiths College, em Londres (Inglaterra), com o patrocínio do Conselho Britânico de São Paulo. Em Londres participa de exposições coletivas na Chisenhale Gallery e na Mall Galleries. Em 1995, de volta ao Brasil, apresenta no MAMSP as esculturas criadas e produzidas no Goldsmith College, que hoje integram o acervo da Pinacoteca do Estado.

Em 1996, realiza individual no Espaço Cultural Sergio Porto, e em 1999, integra, mais uma vez, o Panorama da Arte Brasileira com O Paradoxo de Thompson Clark e os Pesadelos de Mark. Em 2000, ganha a Bolsa Vitae de Artes com o projeto A Gratidão do Reencontro. Os resultados da pesquisa desenvolvida com a premiação são apresentado no ano seguinte em individual que traz texto crítico de Tadeu Chiarelli. Desde 1995 leciona expressão tridimensional no curso de Artes Plásticas da Fundação Armando Alvares Penteado (Faap). Em 2004, conclui o doutorado em Poéticas Visuais – Produção Refletiva: Arte, Sujeito e Espaço –, na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, sob a orientação de Carlos Fajardo. Em 2006, permanece por seis meses em Paris como artista residente na Cité Internationale des Arts/Estúdio Faap. Desde então, a evolução de seu trabalho tem sido objeto de diversas exposições individuais e coletivas, tendo recebido em 2010 o Prêmio Aquisição Pinacoteca do Estado na 6ª edição da SP-Arte, com a obra A Passagem do Tempo e a Natureza do Amor. Em 2013, a Pinacoteca do Estado organiza uma exposição individual de Gustavo Rezende na Estação Pinacoteca, com curadoria de Ivo Mesquita.

Expos Individuais

2013
Estação Pinacoteca, São Paulo. Curadoria de Ivo Mesquita.

2012
Maxwell Vindo. Marília Razuk Galeria de Arte, São Paulo.

2009
Crepe Sexy Thing. Marília Razuk Galeria de Arte, São Paulo.

2004
Casa Triângulo, São Paulo.

Squeeze ou Geografia Negra. Centro Universitário Maria Antonia, São Paulo. Curadoria de Lorenzo Mammì.



2002
Paço das Artes, São Paulo. Plumb e a vastidão do Império.

2001
Gustavo Rezende (com obras produzidas a partir da Bolsa Vitae de Artes 2000, o projeto “A Gratidão do Reencontro”). Galeria Baró Senna, São Paulo.

1996
Galeria Millan, São Paulo.

Espaço Cultural Sergio Porto, Rio de Janeiro.

1991
Centro Cultural São Paulo, São Paulo.

Centro Cultural Candido Mendes, Rio de Janeiro.

Gustavo Rezende: Esculturas (do Projeto Macunaíma). Galeria Macunaíma/Instituto Brasileiro de Arte Contemporânea (Ibac), Rio de Janeiro.



1988
Galeria da Funarte, São Paulo.

1987
Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo.

1985
Desenhos e Pinturas. Espaço-galeria da loja Kaos Brasilis, São Paulo.

1984
São Paulo: Paisagens Urbanas. Pinacoteca do Estado, São Paulo.

Novas Paisagens: Campinas. Tulha da Fazenda Proença, Campinas. Expõe a convite de Fábio Magalhães.

Screens. Museu da Cidade [Casa do Comendador/Edifício Martinelli], São Paulo.

Expos Coletivas

2012
O Tridimensional no Acervo do MAC: Uma Antologia. Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo – Nova Sede. Curadoria de Tadeu Chiarelli.

[alguns de] Nós. Marília Razuk Galeria de Arte, São Paulo. Curadoria de Claudio Cretti.

Nova Escultura Brasileira – Heranças e Diversidades. Caixa Cultural, Rio de Janeiro. Curadoria de Alexandre Murucci.

2011
Quase Figuras. Marília Razuk Galeria de Arte, São Paulo. Curadoria de Tiago Mesquita.

2010
Do Pensamento à Reprodução. Marília Razuk Galeria de Arte, São Paulo. Curadoria de Luiz Müssnich.

Kierkegard's Walk. Marília Razuk Galeria de Arte, São Paulo. Curadoria de Jacopo Crivelli Visconti.

Paralela 2010: A Contemplação do Mundo. Liceu de Artes e Ofícios, São Paulo. Curadoria de Paulo Reis.

2009
Experiências Contemporâneas – Coleção Marcantonio Vilaça no MAC USP. Espaço Cultural Marcantonio Vilaça, Brasília. Curadoria de Lisbeth Rebollo Gonçalves.

34º Salão de Arte de Ribeirão Preto Nacional – Contemporâneo (Artista convidado). Museu de Arte de Ribeirão Preto Pedro Manuel-Gismondi. Apresenta uma panorama de suas obras.Curadoria de Nilton Campos.

2008
Arte Contemporânea – Aquisições Recentes do Acervo da Pinacoteca. Estação Pinacoteca, São Paulo.

Arte pela Amazônia: Arte e Atitude. Pavilhão Ciccilo Matarazzo Sobrinho/Parque do Ibirapuera, São Paulo. Curadoria de Jacopo Crivelli Visconti.

Galeria Fernando Padilha, Madri (Espanha).

Bordando Arte. Pinacoteca do Estado, São Paulo.

2007
Intimidades – Jogos Perigosos. Marília Razuk Galeria de Arte, São Paulo. Apresenta Gus olhando o abismo interior. Curadoria de Marcos Marcelino e Waldick Jatobá.

Circuito de Fotografia I Contemporâneo. Shopping Iguatemi, São Paulo.

2006
Brazilian Art Show. Pavilhão Ciccilo Matarazzo Sobrinho/Parque do Ibirapuera, São Paulo. Curadoria de Angélica de Moraes.

Um Século de Arte Brasileira – Coleção Gilberto Chateaubriand. Pinacoteca do Estado, São Paulo; Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro; em 2007, no Museu de Arte Moderna da Bahia, Salvador; Museu Oscar Niemeyer, Curitiba. Curadoria de Fernando Cocchiarale.

Sem título, 2006: Comodato de Eduardo Brandão e Jan Fjeld. Museu de Arte Moderna de São Paulo.

Clube de Gravura: 20 Anos. Museu de Arte Moderna de São Paulo. Curadoria de Cauê Alves e Margarida Sant’Anna.

Paralela 2006. Pavilhão dos Estados/Parque do Ibirapuera, São Paulo. Curadoria de Daniela Bousso.

MAM na Oca: Arte Brasileira do Acervo do Museu de Arte Moderna de São Paulo. Org. MAM-SP. Pavilhão Lucas Nogueira Garcez [Oca]/Parque do Ibirapuera, São Paulo. Curadoria de Cauê Alves, Felipe Chaimovich e Tadeu Chiarelli.

Casa Triângulo 18 Anos. Casa Triângulo, São Paulo.

Trem de Prata. Museu Imperial, Petrópolis. Curadoria de Fernando Cocchiaralle, Luiz Carlos Del Castillo e Sonia Marta de Carvalho Salcedo del Castillo.

2005
O Retrato como Imagem do Mundo. Museu de Arte Moderna de São Paulo. Curadoria de Cauê Alves.

O Retrato – Possibilidades. Museu de Arte de Ribeirão Preto Manuel Gismondi. Curadoria de Nilton Campos.

2004
A Foto Dissolvida. Sesc Pompeia, São Paulo. Curadoria de Juliana Monachesi.

Paralela 2004: A Representação do Mundo. Galpão na Vila Olímpia, São Paulo. Curadoria de Moacir dos Anjos.

Olho Vivo: A Arte da Fotografia. Santander Cultural, Porto Alegre. Organizada pelo Museu de Arte Moderna de São Paulo. Curadoria de Margarida Sant'Anna.



2003
Mídia-Arte: Prêmio Cultural Sérgio Motta. Org. Instituto Sérgio Motta. Museu de Arte Contemporânea, Goiânia. Apresenta Hero (2001).

A Casa Onírica/6ª Semana Fernando Furlanetto. Espaço Cultural Fernando Arrigucci, São João da Boa Vista. Curadoria de Juliana Monachesi.

Meus Amigos. Org. Museu de Arte Moderna de São Paulo. Espaço MAM-Villa-Lobos, São Paulo. Curadoria de Caetano de Almeida.

Marcantonio Vilaça – Passaporte Contemporâneo. Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo. Integra a mostra com Cabeça (1996). Curadoria de Elza Ajzenberg.

Integra o Clube de Colecionadores de Gravura do Museu de Arte Moderna de São Paulo com a serigrafia Gus, a Princesa Safire e a travessia do rio.

2002
A Permanência dos Gêneros Tradicionais da Arte. Org. Museu de Arte Moderna de São Paulo. Espaço MAM-Villa-Lobos, São Paulo.

Coletiva Bienal. Galeria Baró Senna, São Paulo.

Os Gêneros da Arte: A Natureza-Morta na Arte Contemporânea. Org. Museu de Arte Moderna de São Paulo. MAM-Higienópolis. Curadoria de Ricardo Resende.

Insólitos. Org. Museu de Arte Moderna de São Paulo. Espaço MAM-Villa-Lobos, São Paulo. Curadoria de Tadeu Chiarelli.

Fotografias no Acervo do MAM. Museu de Arte Moderna de São Paulo.

Coletiva AAA. Galeria Baró-Senna, São Paulo.

Intimidade. Paço das Artes, São Paulo. Apresenta A Passagem do Tempo e a Natureza do Amor. Curadoria de Daniela Bousso.

Artefoto. Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro; em 2003, no Centro Cultural Banco do Brasil, Brasília. Curadoria de Ligia Canongia.

2001
Fotografia/Não Fotografia. Museu de Arte Moderna de São Paulo. Curadoria de Tadeu Chiarelli.

Auto-retrato – Espelho do Artista. Org. Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo. Galeria do Sesi, São Paulo. Curadoria de Katia Canton.

Deslocamentos do Eu: O Auto-Retrato Digital e Pré-Digital na Arte Brasileira (1976-2001). Itaú Cultural, Campinas; Paço das Artes, São Paulo. Curadoria de Tadeu Chiarelli.

Palavra-Figura. Paço das Artes, São Paulo. Curadoria de Nancy Betts. 2000
Entre a Arte e o Design: Acervo do MAM. Museu de Arte Moderna de São Paulo. Curadoria de Tadeu Chiarelli.

América Foto Latina: La Fotografía en el Arte Contemporáneo. Museo de las Artes/Universidad de Guadalajara, México. Curadoria de Rejane Cintrão.

Obra Nova. Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo. Apresenta a obra Escultura de Nove Pés (1998), que hoje integra o acervo do MAC USP. Curadoria de Teixeira Coelho e Martin Grossmann.

Fim de Milênio: Os Anos 90 no MAM. Museu de Arte Moderna de São Paulo. Curadoria de Tadeu Chiarelli.

1999
Panorama de Arte Brasileiralos de Mark. Curadoria de Tadeu Chiarelli.

1998
Medidas de Si. Museu de Arte Moderna de São Paulo; Itaú Cultural, Campinas. A exposição, com curadoria de Felipe Chaimovich, foi concebida no âmbito do Grupo de Estudos de Curadoria do MAM, coordenado por Tadeu Chiarelli.

Arte Brasileira no Acervo do Museu de Arte Moderna de São Paulo: doações recentes 1996-1998. Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro. Curadoria de Tadeu Chiarelli.

Ponto Cego. Museu da Imagem e do Som. São Paulo. Curadoria de Felipe Chaimovich.

1997
Tridimensionalidade na Arte Brasileira do Século XX. Itaú Cultural, São Paulo; em 1998, na Itaugaleria, Belo Horizonte; Itaugaleria, Brasília; Galeria Itaú Cultural, Penápolis.

1996
Arte Brasileira Contemporânea: Doações Recentes/96. Museu de Arte Moderna de São Paulo. Integra a exposição com a obra sem título, de 1996 (fotografia/backlight], doada pela Bayer por indicação da curadoria do museu. Curadoria de Tadeu Chiarelli.



1995
Museu de Arte Moderna de São Paulo. Apresenta as esculturas criadas e produzidas no Goldsmith College em 1994 (as obras Streetch, Into the skin, Endless column, Table e Embra cea ble integram hoje o acervo da Pinacoteca do Estado).

1994
Chisenhale Gallery, Londres, Inglaterra.

BR-UK. Org. British Council. Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Rezende apresenta O Observador e o Ponto de Fuga (1991). Curadoria de Armando Mattos.

Out of the Nineties. Mall Galleries, Londres, Inglaterra.

1992
Arte Contemporânea: Produções Recentes (artistas selecionados no Programa Anual de Exposições de Artes Plásticas 91). Org. Centro Cultural São Paulo. Fundação Bienal, São Paulo. Um dos trabalhos apresentados é Cara de Cavalo e o drama da arte. Curadoria de Sônia Salzstein.

24º Salão de Arte Contemporânea – Instalações. Engenho Central, Piracicaba. Menção honrosa com a obra A virtude e o trabalho.

6º Festival de Arte Cidade de Porto Alegre. Porto Alegre. Realiza também workshop – Escultura: Percepção e Construção – no atelier Livre de Porto Alegre.

A Sedução dos Volumes: Os Tridimensionais do MAC. Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo. Apresenta escultura sem título (1991), da coleção de Marcantonio Vilaça, em comodato no MAC USP. Curadoria de Daisy Peccinini.

1991
Selecionados do Centro Cultural São Paulo (dos artistas selecionados no Programa de Exposições de Artes Plásticas do CCSP). Org. Centro Cultural São Paulo. Museu de Arte de São Paulo.

6 Artistas Convidados da Bienal de Havana. Casa Triângulo, São Paulo.

Panorama da Arte Atual Brasileira/Formas Tridimensionais . Museu de Arte Moderna de São Paulo.

4ª Bienal de Havana . Centro Wifredo Lam, Havana, Cuba. Apresenta O Imperador e seu Dorso entre outros.

Selecionados do Centro Cultural São Paulo (dos artistas selecionados no Programa de Exposições de Artes Plásticas do CCSP). Org. Centro Cultural São Paulo. Museu de Arte de São Paulo.

1990
Projeto Macunaíma . Funarte, Rio de Janeiro.

1989
Coleção Particular de Eduardo Brandão. Galeria Casa Triângulo, São Paulo.

1986
Os Caminhos do Desenho Brasileiro . Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli, Porto Alegre. Comissão de seleção: Angélica de Moraes, Casemiro Xavier de Mendonça, Evelyn Berg Iochpe (também curadora), Frederico Morais, Marcio Sampaio, Paulo Herkenhoff (também curador) e Regina Silveira.

1985
3. Internationale Triennale der Zeichnung + Bildhauerzeichnung. Kunsthalle Nürberg, Nuremberg, Alemanha; Oberösterreichisches Landsmuseum, Linz, Áustria. Apresenta três desenhos (grafite sobre papel) realizados entre 1984 e 1985. Curadoria de Stefan Graupner, Wofgang Horn e Curt Heige.

1983
Arte na Rua 2. Org. Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo.

1982
Mostra de Fotografia da Cidade de Porto Alegre. Porto Alegre.

Arte Outdoor (organizada pelo Grupo Manga Rosa e Central de Outdoor). Outdoor instalado na Rua da Consolação, São Paulo.

1981
2º Salão Universitário de Artes Visuais. Galerias do Campus USP de São Carlos.

1980
1º Salão Universitário de Artes Visuais. Galerias do Campus USP de São Carlos.

Coleções

Centro Cultural Candido Mendes (Rio de Janeiro) Instituto Figueiredo Ferraz (Ribeirão Preto)



Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (São Paulo) Museu de Arte Moderna de São Paulo (São Paulo)



Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro/Coleção Gilberto Chateaubriand (Rio de Janeiro) Novo Museu dos Açores (Portugal) Pinacoteca do Estado (São Paulo)